A vida não espera

Eu convivi com essa frase a minha vida toda. Pensava que entendia o real significado dessas quatro singelas palavras que compõe o slogan da Medilar. Mas, estava enganada. Eu sempre as olhei sob a ótica da área da saúde, principalmente com a perspectiva do atendimento pré-hospitalar, já que vivencio diariamente esse cenário na empresa.Entretanto, desde o falecimento de meu pai, Dr. Marcelo Mattar, passei a olhar para essa simples, mas poderosa frase, sob o ponto de vista da vida. Na verdade, ela virou o meu mantra.Nesse último mês, sinto que vivi 1 ano em 30 dias. Em vez de desacelerar e vivenciar o luto, eu preferi não esperar a dor amenizar, eu a usei como combustível. Afinal, a história, os clientes, os beneficiários e a vida dos mais de 1,7 mil profissionais que dependem da Medilar para sustentar as suas famílias precisam seguir em frente. A vida não espera, ela continua.Com menos de 10 dias do falecimento de meu pai, eu me vi de malas prontas rumo à cidade de Florianópolis (SC), para marcar presença no 19º Simpósio das Unimeds do Estado de Santa Catarina, o SUESC.

Eu senti que precisava estar presente no evento. Além disso, O Dr. Marcelo ficaria furioso comigo se eu não comparecesse. Posso até o ouvi-lo falando: – Filha, a vida continua e temos muito trabalho a ser feito. Não pare. Siga em frente.

Foi a melhor decisão que tomei.

Meu pai havia trabalhado arduamente junto com a equipe de marketing, no projeto desse evento. Ele fez questão de escolher cada detalhe, desde a cor do piso até o nosso lugar na planta da feira de negócios. Logo, era nosso dever continuar esse trabalho que ele havia começado e entregar o nosso melhor… Nós devíamos isso a ele. E, foi o que fizemos. O 19º SUESC foi um evento especial não só para mim, mas para todo o time da Medilar.

A todo o momento, a presença dele ao meu lado foi real, dando forças para seguir. Ele estava comigo. E, claro, que eu não poderia deixar de citar o acolhimento que recebi dos colegas do Sistema Unimed. Quantos abraços acolhedores recebi e o quanto esse carinho fez a diferença nos meus dias ali. Deixo aqui o meu agradecimento a todos.

Na sequência do evento, decidi passar uma semana na sede administrativa e Call Center Médico da Medilar, em Ribeirão Preto (SP). Confesso que fui atingida por um mar de sensações ao entrar na sala do meu pai e se sentar na cadeira, que algumas semanas atrás tinha sido ocupada por ele.Mas, foi em meio aos diversos livros, porta-retratos e souvenirs de viagens do Dr. Marcelo, que encontrei a gota de motivação que eu precisava para fortalecer o legado deixado por ele.Durante a semana em Ribeirão Preto, eu consegui entender pelo quê, ou melhor por quem, o Dr. Marcelo Mattar tanto trabalhava: pelas pessoas.A verdade é que meu pai facilitou muito a jornada que tenho pela frente na Medilar, pois ele deixou um time altamente competente e comprometido em minhas mãos, que trabalha dia e noite para atender as mais de 60 Unimeds que temos em nossa carteira. E, é por esses mais de 1,7 mil profissionais, clientes e 3 milhões de beneficiários Unimed que me comprometo a trabalhar arduamente e a sempre entregar o meu melhor, assim como meu pai fez durante 25 anos na Medilar.

Como eu já disse: a vida não espera, ela continua. Eu, Marcela Mattar, com apoio de um time experiente, unido e fortalecido, continuarei seguindo e honrando o extraordinário legado do Dr. Marcelo Mattar.Um abraço e até  breve!

One thought on “A vida não espera

  1. Frederico Lucas Freitas says:

    Marcelinha , ficamos muito sentidos com a passagem do querido Theo , nossas conversas nas piscinas de caldas , nossas partidas de tênis , as orientações sobre medicina , a medilar em
    Uberlândia.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *